O que você está procurando?



Fechar

Carregando...

FÓRMULA:
Cada 100 ml contém:

Dipropionato de imidocarb ................. 12,0 g
Vitamina B12 ....................................... 16,7 g
Veículo ....................q.s.p .................... 100,0 mL
DESCRIÇÃO:


Antimicrobiano injetável, à base de Dipropionato de imidocarb e vitamina B12

Izoot B12 para profilaxia e tratamento da babesiose em bovinos, ovinos, equinos e da anaplasmose em bovinos.

INDICAÇÃO:
Izoot B12 é indicado para:

O tratamento preventivo e curativo da babesiose (piroplasmose) em bovinos, ovinos e equinos para o tratamento da anaplasmose e das infecções mistas (tristezina parasitária) em bovinos. Estas doenças são transmitidas por várias espécies de carrapatos e insetos ou durante determinados procedimentos de manejo (vacinações, descornas, castrações etc.)
O medicamento também é indicado para o tratamento dos animais que apresentam reações clínicas exacerbadas após a administração de vacinas sanguíneas contra a babesiose e anaplasmose. Nestes casos, os parasitas vacinais poderão ser eliminados antes do desenvolvimento da imunidade e os animais deverão ser revacinados 8 semanas após o tratamento.
A vitamina B12 presente na fórmula irá auxiliar no restabelecimento mais rápido do animal e no estímulo da hematopoiese, necessário nos quadros de anemia. Alterações na microbiota ruminal que ocorrem nos regimes de produção intensiva e nas condições de estresse elevado reduzem a produção da cianocobalamina. Nos casos de infecções por hemoparasitas, sabe-se que a demanda pela vitamina aumentará ainda mais e a suplementação parenteral será importante.
Este produto, de uso interno, é destinado ao tratamento de bovinos, ovinos e equinos.
POSOLOGIA E MODO DE USAR:

Produto injetável pronto para uso, que dispensa qualquer preparação prévia. Deverá ser administrado de acordo com o peso do animal.
Uso interno e administração exclusivamente através da via subcutâneo (bovinos e ovinos) e intramuscular (equinos). O uso intravenoso do produto é contraindicado, com risco de toxicidade aguda para os animais.
Utilizar seringas e agulhas estéreis e individuais. Remover o lacre de alumínio do frasco-ampola somente no momento da utilização.
Aplicar o medicamento em bovinos na região do pescoço ou em áreas cujo couro apresente menor valor comercial. Em ovinos, recomenda-se a aplicação do produto na região da escápula e em equinos via intramuscular (IM) é preferencial.
Dosagem:
Bovinos: 1 ml/100 kg no tratamento da babesiose ou 2,5 ml/100 kg no tratamento da anaplasmose ou babesiose/anaplasmose;
Ovinos: 1 ml/100 kg no tratamento da babesiose;
Equinos: 1 ml/100 kg no tratamento da babesiose.
* Esta dose também se aplica em burros e mulas.

Geralmente é necessária apenas uma dose do produto. Porém nos casos de infecção por Babesia equi em cavalos, podem ser necessárias duas doses com intervalo de 24 a 72 horas, dependendo da evolução da doença.

Nos ovinos pode ocorrer um agravamento esperado da doença 2 semanas após o primeiro tratamento. Nestes casos, uma segunda dose também é recomendada.
Em bovinos não repetir o tratamento antes de transcorrido o prazo de sete dias.
Nas reações clínicas exacerbadas após a administração das vacinas sanguíneas contra a babesiose e a anaplasmose, os sintomas aparecerão dias após o início da premunição e poderão ser controlados com 1 mL do produto para cada 100kg de peso vivo. Esta aplicação irá retardar o período de incubação da anaplasmose, que poderá se manifestar semanas mais tarde. Se o quadro clínico for severo, recomenda-se a administração única de 2,5 mL / 100 kg de peso.

Uso Profilático:

O controle profilático da babesiose e anaplasmose pode ser indicado nos seguintes casos;
- Na introdução de animais susceptíveis em áreas de conhecida incidência das doenças ou que apresentam carrapatos. Neste caso, aplicar o produto no momento da chegada do animal ou no máximo em 5 dias. No caso da Anaplasmose, a administração do medicamento antes do aparecimento dos sintomas clínicos poderá ser prematura, uma vez que o período de incubação da doença é longo e o tratamento irá impossibilitar o desenvolvimento da imunidade após a transmissão do agente pelos carrapatos.

- Quando sinais clínicos da doença surgem em apenas alguns animais do rebanho, toda a população deve ser tratada, particularmente quando for diagnosticada babesiose, contra a qual o produto irá conferir um período de proteção de mais de 3 semanas. Neste intervalo a imunidade irá se desenvolver.

NOTA: O imidocarb não é uma vacina e no uso profilático o estabelecimento da imunidade contra a babesiose e anaplasmose irá depender da exposição do animal aos agentes patogênicos das doenças.

O controle profilático poderá ser realizado administrando-se o produto do seguinte modo:
Bovinos: 2,5 mL/100 kg para tratamento da babesiose ou babesiose/anaplasmose
Equinos: 2,0 mL/100 kg para tratamento da babesiose.

* Em situações de infecções mistas ou por agente causal desconhecido, o esquema poderá ser seguido e será eficiente contra a babesiose, mas não necessariamente contra a anaplasmose. Neste caso, poderá ser exigida uma segunda aplicação quando os sintomas clínicos da doença aparecerem.
** Esta recomendação também é aplicável a mulas e burros. Os equídeos estarão protegidos por um período de cerca de 4 meses.

Utilizar o produto somente com prescrição e acompanhamento do Veterinário, mesmo na aplicação preventiva para segurança do animal.

CONTRAINDICAÇÕES E ALTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS :
O produto é contraindicado em pacientes com hipersensibilidade conhecida ao dipropionato de imidocarb ou à vitamina B12.
O produto não deve ser administrado por via intravenosa. Injeções intravenosas (IV) do imidocarb (mesmo em doses baixas de 1mg/kg) podem ser agudamente tóxicas.
O medicamento não deve ser utilizado em fêmeas no período de gestação terminal.
Animais com alterações renais pré-existentes deverão ser monitorados durante o tratamento, uma vez que o imidocarb demonstrou ser nefrotóxico em condições experimentais de toxicidade.

Alterações medicamentosas:

Animais tratados com inseticidas ou anti-helmínticos organofosforados não devem ser submetidos simultaneamente, poucos dias antes ou depois à terapia com imidocarb, pois os efeitos anticolinérgicos podem se acentuar.
A vacina sanguínea contra a anaplasmose e a babesiose não deve ser aplicada até 28 dias após a administração do imidocarb, pois a mesma poderá interferir no desenvolvimento da imunidade contra as doenças.
PERÍODO DE CARÊNCIA:

Não abater para consumo humano os bovinos tratados com o produto antes de decorridos 28 dias;
Não medicar vacas produzindo leite para o consumo humano;
Não abater para consumo humano equinos tratados com o produto.
Ver mais
Aproveite! Restam apenas 172 unidades em estoque!
Selecione a variação
R$ 90,16 à vista (Pix, Boleto, ou Crédito 1x)
R$ 94,90
em até 3x de R$ 31,63
Preço exclusivo para bandeira-rs
Entre em contato para preços na sua brasil
Formas de pagamento
Parcelas Valor parcela Valor total
à vista R$ 90,16 R$ 90,16
1x sem juros R$ 94,90 R$ 94,90
2x sem juros R$ 47,45 R$ 94,90
3x sem juros R$ 31,63 R$ 94,90
Frete e prazo

FÓRMULA:
Cada 100 ml contém:

Dipropionato de imidocarb ................. 12,0 g
Vitamina B12 ....................................... 16,7 g
Veículo ....................q.s.p .................... 100,0 mL
DESCRIÇÃO:


Antimicrobiano injetável, à base de Dipropionato de imidocarb e vitamina B12

Izoot B12 para profilaxia e tratamento da babesiose em bovinos, ovinos, equinos e da anaplasmose em bovinos.

INDICAÇÃO:
Izoot B12 é indicado para:

O tratamento preventivo e curativo da babesiose (piroplasmose) em bovinos, ovinos e equinos para o tratamento da anaplasmose e das infecções mistas (tristezina parasitária) em bovinos. Estas doenças são transmitidas por várias espécies de carrapatos e insetos ou durante determinados procedimentos de manejo (vacinações, descornas, castrações etc.)
O medicamento também é indicado para o tratamento dos animais que apresentam reações clínicas exacerbadas após a administração de vacinas sanguíneas contra a babesiose e anaplasmose. Nestes casos, os parasitas vacinais poderão ser eliminados antes do desenvolvimento da imunidade e os animais deverão ser revacinados 8 semanas após o tratamento.
A vitamina B12 presente na fórmula irá auxiliar no restabelecimento mais rápido do animal e no estímulo da hematopoiese, necessário nos quadros de anemia. Alterações na microbiota ruminal que ocorrem nos regimes de produção intensiva e nas condições de estresse elevado reduzem a produção da cianocobalamina. Nos casos de infecções por hemoparasitas, sabe-se que a demanda pela vitamina aumentará ainda mais e a suplementação parenteral será importante.
Este produto, de uso interno, é destinado ao tratamento de bovinos, ovinos e equinos.
POSOLOGIA E MODO DE USAR:

Produto injetável pronto para uso, que dispensa qualquer preparação prévia. Deverá ser administrado de acordo com o peso do animal.
Uso interno e administração exclusivamente através da via subcutâneo (bovinos e ovinos) e intramuscular (equinos). O uso intravenoso do produto é contraindicado, com risco de toxicidade aguda para os animais.
Utilizar seringas e agulhas estéreis e individuais. Remover o lacre de alumínio do frasco-ampola somente no momento da utilização.
Aplicar o medicamento em bovinos na região do pescoço ou em áreas cujo couro apresente menor valor comercial. Em ovinos, recomenda-se a aplicação do produto na região da escápula e em equinos via intramuscular (IM) é preferencial.
Dosagem:
Bovinos: 1 ml/100 kg no tratamento da babesiose ou 2,5 ml/100 kg no tratamento da anaplasmose ou babesiose/anaplasmose;
Ovinos: 1 ml/100 kg no tratamento da babesiose;
Equinos: 1 ml/100 kg no tratamento da babesiose.
* Esta dose também se aplica em burros e mulas.

Geralmente é necessária apenas uma dose do produto. Porém nos casos de infecção por Babesia equi em cavalos, podem ser necessárias duas doses com intervalo de 24 a 72 horas, dependendo da evolução da doença.

Nos ovinos pode ocorrer um agravamento esperado da doença 2 semanas após o primeiro tratamento. Nestes casos, uma segunda dose também é recomendada.
Em bovinos não repetir o tratamento antes de transcorrido o prazo de sete dias.
Nas reações clínicas exacerbadas após a administração das vacinas sanguíneas contra a babesiose e a anaplasmose, os sintomas aparecerão dias após o início da premunição e poderão ser controlados com 1 mL do produto para cada 100kg de peso vivo. Esta aplicação irá retardar o período de incubação da anaplasmose, que poderá se manifestar semanas mais tarde. Se o quadro clínico for severo, recomenda-se a administração única de 2,5 mL / 100 kg de peso.

Uso Profilático:

O controle profilático da babesiose e anaplasmose pode ser indicado nos seguintes casos;
- Na introdução de animais susceptíveis em áreas de conhecida incidência das doenças ou que apresentam carrapatos. Neste caso, aplicar o produto no momento da chegada do animal ou no máximo em 5 dias. No caso da Anaplasmose, a administração do medicamento antes do aparecimento dos sintomas clínicos poderá ser prematura, uma vez que o período de incubação da doença é longo e o tratamento irá impossibilitar o desenvolvimento da imunidade após a transmissão do agente pelos carrapatos.

- Quando sinais clínicos da doença surgem em apenas alguns animais do rebanho, toda a população deve ser tratada, particularmente quando for diagnosticada babesiose, contra a qual o produto irá conferir um período de proteção de mais de 3 semanas. Neste intervalo a imunidade irá se desenvolver.

NOTA: O imidocarb não é uma vacina e no uso profilático o estabelecimento da imunidade contra a babesiose e anaplasmose irá depender da exposição do animal aos agentes patogênicos das doenças.

O controle profilático poderá ser realizado administrando-se o produto do seguinte modo:
Bovinos: 2,5 mL/100 kg para tratamento da babesiose ou babesiose/anaplasmose
Equinos: 2,0 mL/100 kg para tratamento da babesiose.

* Em situações de infecções mistas ou por agente causal desconhecido, o esquema poderá ser seguido e será eficiente contra a babesiose, mas não necessariamente contra a anaplasmose. Neste caso, poderá ser exigida uma segunda aplicação quando os sintomas clínicos da doença aparecerem.
** Esta recomendação também é aplicável a mulas e burros. Os equídeos estarão protegidos por um período de cerca de 4 meses.

Utilizar o produto somente com prescrição e acompanhamento do Veterinário, mesmo na aplicação preventiva para segurança do animal.

CONTRAINDICAÇÕES E ALTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS :
O produto é contraindicado em pacientes com hipersensibilidade conhecida ao dipropionato de imidocarb ou à vitamina B12.
O produto não deve ser administrado por via intravenosa. Injeções intravenosas (IV) do imidocarb (mesmo em doses baixas de 1mg/kg) podem ser agudamente tóxicas.
O medicamento não deve ser utilizado em fêmeas no período de gestação terminal.
Animais com alterações renais pré-existentes deverão ser monitorados durante o tratamento, uma vez que o imidocarb demonstrou ser nefrotóxico em condições experimentais de toxicidade.

Alterações medicamentosas:

Animais tratados com inseticidas ou anti-helmínticos organofosforados não devem ser submetidos simultaneamente, poucos dias antes ou depois à terapia com imidocarb, pois os efeitos anticolinérgicos podem se acentuar.
A vacina sanguínea contra a anaplasmose e a babesiose não deve ser aplicada até 28 dias após a administração do imidocarb, pois a mesma poderá interferir no desenvolvimento da imunidade contra as doenças.
PERÍODO DE CARÊNCIA:

Não abater para consumo humano os bovinos tratados com o produto antes de decorridos 28 dias;
Não medicar vacas produzindo leite para o consumo humano;
Não abater para consumo humano equinos tratados com o produto.
Machado Agropecuária